Anúncios

DICA – Transforme plugues redondos para o padrão NBR

16 de agosto de 2017 Deixe um comentário
Figura 1 - Plugue padrão CEE 7/17, de pinos grossos, antes e depois da modificação.

Figura 1 – Plugue padrão CEE 7/17, de pinos grossos, antes e depois da modificação.

Que tal converter o plugue padrão CEE 7/17 em plugue NBR de 20A? Ou o plugue CEE 7/16 em NBR 10A? É muito fácil. Leia neste artigo como fazer isso e conheça melhor os padrões IEC. Esta dica vale para os aparelhos com o plugue de dois pinos, de plástico macio moldado no cabo (sem parafusos de remoção) e sem conexão de aterramento, como o da figura acima, à esquerda.

Há uma série de equipamentos que trabalham na temperatura ambiente e não necessitam de aterramento, pois são isolados (isolação Classe II ou dupla isolação). É o caso dos televisores, furadeiras e outras ferramentas elétricas, aspiradores, liquidificadores, ventiladores, fogões de indução, etc..

Eles são vendidos com plugues de dois pinos. Caso o aparelho tenha sido comprado no Uruguai, Europa ou Ásia, é muito provável que ele venha com um plugue padrão CEE 7/16 ou CEE 7/17. Ambos tem os pinos com as dimensões dos plugues brasileiros, mas o formato do plugue pode torná-los incompatíveis com as novas tomadas NBR. Os códigos dos plugues são oriundos da IEC.

A IEC (International Electrotechnical Commission – Comissão Eletrotécnica Internacional), que tem como objetivo padronizar mundialmente os plugues e tomadas, criou o Sistema de Testes de Conformidade e Certificação de Equipamentos e Componentes Eletrotécnicos, mais conhecido como CEE (Certification of Electrotechnical Equipment). Historicamente, as tentativas de normatização vem desde 1929, com a iniciativa do instituto alemão VDE (Verband der Elektrotechnik, Elektronik und Informationstechnik).

Figura 2 – Plugue CEE 7/16 I (Europlug), de formato hexagonal, totalmente compatível com as tomadas brasileiras, mesmo as antigas.

Figura 2 – Plugue CEE 7/16 I (Europlug), de formato hexagonal, totalmente compatível com as tomadas brasileiras, mesmo as antigas.

Figura 3 – Plugue CEE 7/16 II, com proteção para evitar choques. Note que não há o trecho isolante nos pinos. É um velho plugue, compatível só com as antigas tomadas brasileiras (tipo C), sem o poço de 1cm, oriundo da norma NBR 14136. É compatível também com as tomadas E e F, que têm um poço redondo.

Figura 3 – Plugue CEE 7/16 II, com proteção para evitar choques. Note que não há o trecho isolante nos pinos. É um velho plugue, compatível só com as antigas tomadas brasileiras (tipo C), sem o poço de 1cm, oriundo da norma NBR 14136. É compatível também com as tomadas E e F, que têm um poço redondo.

Figura 4 – Acima, plugues CEE 7/7 e CEE 7/17; abaixo, tomadas CEE 7/3 (tipo F, alemão, conhecido como Schucko) e CEE 7/5 (tipo E, francês). Fonte: Digital Museum of Plugs and Sockets [1].

Figura 4 – Acima, plugues CEE 7/7 e CEE 7/17; abaixo, tomadas CEE 7/3 (tipo F, alemão, conhecido como Schucko) e CEE 7/5 (tipo E, francês). Fonte: Digital Museum of Plugs and Sockets [1].

O plugue padrão CEE 7/16 tem dois suptipos. A alternativa I é o famoso Europlug, cujo formato hexagonal é bem conhecido dos brasileiros (figura 2). Apesar dos pinos de 4mm aguentarem até 10A (quando maciços), o Europlug só vai até 2,5A. Ele encaixa nas tomadas tipo C, E, F e é totalmente compatível com o padrão NBR 14136 (tomadas tipo N).

A alternativa II do padrão CEE 7/16 é um plugue bem parecido, que tem um anteparo de formato circular (figura 3). Esta espécie de chapéu serve para dificultar os choques elétricos – já que os pinos não tem o trecho isolante -, mas impede a compatibilidade com o padrão NBR de plugues e tomadas.

Os furos existentes nas abas possibilitam o encaixe nas tomadas francesas, que tem um pino terra saliente (CEE 7/5 ou tipo E) e nas tomadas alemãs (CEE 7/3 ou tipo F), que tem 2 linguetas de aterramento simétricas, nas paredes da tomada (figura 4). A tomada F (mais conhecida como Schucko) é o padrão de alta corrente na maior parte do mundo (Europa, Ásia e até no vizinho Uruguai).

Os equipamentos que consomem acima de 500W (mais de 2,5A, em média) trazem o plugue padrão CEE 7/17, que aguenta corrente máxima de 16A (em 250VCA) e tem pinos de 4,8mm de diâmetro. Este plugue sempre vem com o anteparo isolante redondo (figura 4, no canto superior direito – é o mesmo da figura 1) e só é compatível com as tomadas E e F.

Os plugues CEE 7/16 e 7/17, quando moldados no cabo de alimentação, são de plástico e podem ser cortados no formato hexagonal, para compatibilizar com o padrão NBR. Já fiz várias vezes esta alteração e nunca tive problemas, pois a fiação fica longe das áreas externas do plugue. Também não foi percebida maior fragilidade mecânica.

O que deve ficar claro é que a mudança destina-se a aproveitar os plugues que vieram com os aparelhos, para usá-los nas tomadas padrão NBR, especialmente aqueles de pinos mais grossos, muito comuns no exterior atualmente.

Por exemplo, um lençol térmico sul-coreano (figuras 5 e 6), de apenas 130W, vem com plugue hexagonal, com pinos de 4,8mm! Ele não precisa do chapéu do plugue CEE 7/17, porque os pinos tem o trecho isolante, portanto é totalmente compatível com nossas tomadas de 20A.

Figura 5 – Lençol térmico sul-coreano, comprado em 2012 naquele país, com plugue compatível com as tomadas brasileiras de 20A.

Figura 5 – Lençol térmico sul-coreano, comprado em 2012 naquele país, com plugue compatível com as tomadas brasileiras de 20A.

Figura 6 – Plugue do lençol térmico coreano, onde o paquímetro mede o pino de 4,8mm.

Figura 6 – Plugue do lençol térmico coreano, onde o paquímetro mede o pino de 4,8mm.

Ilustro a seguir três modificações de plugues, duas delas em equipamentos novos, comprados em 2016/17 no Uruguai: um fogão de indução de origem chinesa (marca Majestic), com potência de 2000W e um multiprocessador Philips, com 650 W (figuras 7 a 31). Estes vieram com plugues CEE 7/17.

A terceira modificação foi no plugue de um aspirador Electrolux da década de 1980, ou anterior. Este plugue é de 10A (CEE 7/16 II, com pinos de 4mm) e era encontrado facilmente em equipamentos oriundos de fabricantes europeus, pois era compatível com o padrão brasileiro da época (2 pinos redondos, tomada tipo C). Neste caso, o formato hexagonal do plugue (figuras 32 a 39) e a moldagem num só tipo de plástico facilitou o corte.

ATENÇÃO: o uso de ferramenta de corte deve ser feito com extrema cautela, pois a força exercida é exagerada e poderá causar sérios ferimentos. O plugue deve SEMPRE estar apoiado numa superfície firme, de madeira, que possa sofrer estragos. E o fio de corte da ferramenta deve SEMPRE apontar sua face cortante para longe do corpo do operador.

A remoção da aba é feita com estilete, canivete ou faca, bem afiado. Observe que a aba pode ter uma alma de plástico rígido, mais difícil de cortar, como é possível perceber nas figuras abaixo. Por isso, por vezes será melhor usar uma serrinha para metais. Após o corte é só fazer o acabamento, eliminando as imperfeições e rebarbas com um esmeril ou lixa.

Figura 7 – Fogão de indução Majestic, de 2000W, com plugue CEE 7/17, de pinos grossos.

Figura 7 – Fogão de indução Majestic, de 2000W, com plugue CEE 7/17, de pinos grossos.

Figura 8 – Vista superior do plugue CEE 7/17 do fogão, antes da modificação.

Figura 8 – Vista superior do plugue CEE 7/17 do fogão, antes da modificação.

Figura 9 – Frente do plugue CEE 7/17 do fogão, indicando os limites de tensão e corrente (16A/250VCA).

Figura 9 – Frente do plugue CEE 7/17 do fogão, indicando os limites de tensão e corrente (16A/250VCA).

Figura 10 – Vista traseira do plugue CEE 7/17 do fogão de indução.

Figura 10 – Vista traseira do plugue CEE 7/17 do fogão de indução.

Figura 11 – Corte da aba I.

Figura 11 – Corte da aba I.

Figura 12 – Corte da aba II.

Figura 12 – Corte da aba II.

Figura 13 – Demonstração do corte do anteparo plástico. Note que as mãos estão afastadas da lâmina do estilete, que está sendo forçado para baixo, em direção à tábua. Neste caso, aplicando mais força foi possível cortar com o estilete o plástico rígido interno.

Figura 13 – Demonstração do corte do anteparo plástico. Note que as mãos estão afastadas da lâmina do estilete, que está sendo forçado para baixo, em direção à tábua. Neste caso, aplicando mais força foi possível cortar com o estilete o plástico rígido interno.

Figura 14 – Anteparo cortado, pronto para o acabamento hexagonal.

Figura 14 – Anteparo cortado, pronto para o acabamento hexagonal.

Figura 15 – Compare esta imagem com a figura 9.

Figura 15 – Compare esta imagem com a figura 9.

Figura 16 – Plugue pronto.

Figura 16 – Plugue pronto.

Figura 17 - Teste de inserção em módulo de tomada NBR de 20A.

Figura 17 – Teste de inserção em módulo de tomada NBR de 20A.

Figura 18 - Inserindo...

Figura 18 – Inserindo…

Figura 19 - Feito!

Figura 19 – Feito!

Figura 20 - Multiprocessador Philips, com plugue CEE 7/17.

Figura 20 – Multiprocessador Philips, com plugue CEE 7/17.

Figura 21 – Vista traseira do plugue CEE 7/17 do multiprocessador.

Figura 21 – Vista traseira do plugue CEE 7/17 do multiprocessador.

Figura 22 – Plugue do multiprocessador encaixado em tomada Schucko uruguaia. Observe as linguetas do terra, à mostra.

Figura 22 – Plugue do multiprocessador encaixado em tomada Schucko uruguaia. Observe as linguetas do terra, à mostra.

Figura 23 – Vista lateral do plugue CEE 7/17 do multiprocessador.

Figura 24 – A seta mostra o plástico rígido que forma o esqueleto interno do plugue CEE 7/17. Não foi possível cortá-lo, era muito duro para o estilete, poderia quebrar a lâmina. Daí...

Figura 24 – A seta mostra o plástico rígido que forma o esqueleto interno do plugue CEE 7/17. Não foi possível cortá-lo, era muito duro para o estilete, poderia quebrar a lâmina. Daí…

Figura 25 – ... a solução foi serrar manualmente o plugue, apesar de não ficar lá muito alinhado o corte, pois a serra desviou...

Figura 25 – … a solução foi serrar manualmente o plugue, apesar de não ficar lá muito alinhado o corte, pois a serra desviou…

Figura 26 – Plugue CEE 7/17 do multiprocessador, pronto para o acabamento.

Figura 26 – Plugue CEE 7/17 do multiprocessador, pronto para o acabamento.

Figura 27 – Vista frontal do plugue CEE 7/17 do multiprocessador, quase sem rebarbas. Há um certo desalinhamento...

Figura 27 – Vista frontal do plugue CEE 7/17 do multiprocessador, quase sem rebarbas. Há um certo desalinhamento…

Figura 28 – Vista lateral do plugue CEE 7/17 o multiprocessador, finalizado.

Figura 28 – Vista lateral do plugue CEE 7/17 o multiprocessador, finalizado.

Figura 29 – Vamos ao teste de inserção!

Figura 29 – Vamos ao teste de inserção!

Figura 30 - Até aqui, tudo bem. O plugue foi inserido até o ponto em que ainda não faz contato elétrico. É possível notar que não há espaço para alguém colocar o dedo nos pinos.

Figura 30 – Até aqui, tudo bem. O plugue foi inserido até o ponto em que ainda não faz contato elétrico. É possível notar que não há espaço para alguém colocar o dedo nos pinos.

Figura 31 – Feito!

Figura 31 – Feito!

Figura 32 – Aspirador Electrolux de 750W, da década de 1970 ou 1980. Cuide o formado do plugue sobre o aparelho.

Figura 32 – Aspirador Electrolux de 750W, da década de 1970 ou 1980. Cuide o formado do plugue sobre o aparelho.

Figura 33 – Vista superior do plugue CEE 7/16 do aspirador Electrolux.

Figura 33 – Vista superior do plugue CEE 7/16 do aspirador Electrolux.

Figura 34 - Vista traseira do plugue CEE 7/16 do aspirador.

Figura 34 – Vista traseira do plugue CEE 7/16 do aspirador.

Figura 35 – Vista frontal do plugue CEE 7/16. Na época, os selos de certificação não eram comuns...

Figura 35 – Vista frontal do plugue CEE 7/16. Na época, os selos de certificação não eram comuns…

Figura 36 – Plugue CEE 7/16 junto dos pedaços removidos.

Figura 36 – Plugue CEE 7/16 junto dos pedaços removidos.

Figura 37 – Vista frontal do plugue CEE 7/16 do aspirador, após o corte das abas.

Figura 37 – Vista frontal do plugue CEE 7/16 do aspirador, após o corte das abas.

Figura 38 – Vista lateral do plugue CEE 7/16 do aspirador, após o corte das abas.

Figura 38 – Vista lateral do plugue CEE 7/16 do aspirador, após o corte das abas.

Figura 39 – Vista superior do plugue CEE 7/16 do aspirador, após o corte das abas.

Figura 39 – Vista superior do plugue CEE 7/16 do aspirador, após o corte das abas.

OBSERVAÇÃO: Caso você esteja inseguro(a) ou seja impossível fazer a modificação, peço que troque o plugue. Evite o uso de adaptador, pois ele poderá causar incêndio, se o consumo do aparelho for alto. Tratei deste assunto em um artigo anterior (acesse AQUI).

Recomendo a troca do plugue em vez de usar adaptador, primeiro porque os aparelhos comprados no exterior não têm nenhuma espécie de garantia pós-venda. E depois, porque adaptadores decentes, como este da figura 40, ainda não vi por estas bandas.

Figura 40 – Adaptador de plugue Schucko para o padrão do Reino unido. Fonte: Power Connections [2].

Figura 40 – Adaptador de plugue Schucko para o padrão do Reino unido. Fonte: Power Connections [2].

Para quem desejar aprofundar-se no assunto dos plugues e tomadas, uma excelente fonte de consulta é o Museu Digital dos Plugues e Tomadas (Digital Museum of Plugs and Sockets), mantido pelo holandês Oof Oud. O museu mostra com muitas ilustrações a evolução das conexões elétricas, inclusive tem uma página sobre a norma internacional IEC 60906-1 [3], que foi seguida em parte pela NBR 14136, que implantou o atual padrão de plugues e tomadas brasileiros. Há também uma página sobre o padrão brasileiro. Uma visão geral do site está na referência [4]. E na Wikipedia [5] tem uma lista dos plugues e tomadas utilizados no mundo, vale a pena conhecer. E quem quiser conhecer melhor o padrão NBR14136, visite este meu post (AQUI).

Referências

[1] Digital Museum of Plugs and Sockets – CEE 7/7 and CEE 7/17 standard Hybrid French – Schucko plugs – http://www.plugsocketmuseum.nl/EFhybrid.html

[2] Power Connections – Non-earth Schucko to UK converter plug (SCP)http://www.powerconnections.co.uk/convert_eurotouk_scp.htm

[3] Digital Museum of Plugs and Sockets – IEC 60906-1 – Standard household plug – http://www.plugsocketmuseum.nl/IEC60906-1.html

[4] Digital Museum of Plugs and Sockets – Overview http://www.plugsocketmuseum.nl/Overview.html

[5] Wikipédia – Eletricidade doméstica por país – https://pt.wikipedia.org/wiki/Eletricidade_dom%C3%A9stica_por_pa%C3%ADs

\ep/

Anúncios

Respeito é bom e conserva os dentes

16 de julho de 2017 4 comentários

Bandeira do Brasil, de Henfil, 1983 – Fonte: Instituto Henfil http://institutohenfil.blogspot.com.br/2012/06/bandeira-do-brasil-do-henfil.html

Ô, corrupto, você que fez fortuna explorando muitos!

Que adora induzir os outros ao erro, ou que tenta mantê-los na ignorância, porque sabe que informação é poder e acha um perigo o poder do povo.

Você, que ganha em um mês mais do que um assalariado recebe em dez anos. E que se borra todo quando um pássaro estrangeiro lhe sussurra a mais leve ameaça.

Você, que acha que sonegar é um direito e que um dinheirinho escondido no exterior não faz mal.

Você, que considera justo viajar todo ano para um país diferente, enquanto milhões ficam a vida inteira no mesmo chão. Nas fedorentas, apertadas e violentas cidades brasileiras.

Você e os seus, que acham que conseguirão safar-se. Que nunca serão pegos.

Que consideram burrice fazer o que é certo, correto e ético, aqui no Brasil.

Que cobram do pequeno o mais leve delito e fazem vista grossa para os grandes crimes.

Se continuarem a esculhambar nossas vidas, desprezando nossas escolhas, mudando o jogo quando as regras não lhes beneficiarem, considerando sem importância nossas urgências de educação, casa, comida e saúde, o bicho um dia vai pegar. E feio.

Mais cedo do que vocês pensam, a tal da violência irá arrombar a vossa porta. Ou a vossa cara. Quando estalar, vai sobrar para todos.

Quanto mais difícil for para os pobres e remediados alcançarem uma vida digna, pior será para vocês. Muitos não aguentarão só desejar coisas que nunca terão, e entrarão para o crime. Não é desculpa, é constatação. É o jogo do perde-perde. Poderia ser o reverso disso.

Retidão moral e ética, valores, espiritualidade, só são mantidos e repassados quando há um mínimo de respeito e dignidade. Exemplo deveria vir de cima.

E a polícia, que há décadas não tem efetivo para fazer segurança, nem os distúrbios conseguirá silenciar. Vai chegar uma hora que terão que matar mais gente ainda, de balaio. Ou de carreta.

Porque, em vez de permitir, incentivar, desenvolver de uma vez por todas esta nação, de acreditar na capacidade do povo brasileiro, de fazê-lo feliz e rico também, vocês querem é baixar a crista dele.

Já disse: respeito é bom e CONSERVA OS DENTES!

Bandeira do Brasil durante a redemocratização, 1987. Fonte: Jornal JR – http://www.jornaljr.com.br/2014/06/05/henrique-de-souza-filho-o-henfil/

Observação: As duas bandeiras aqui mostradas foram desenhadas pelo cartunista Henfil (1944-1988). A primeira, provavelmente de 1983, mostra um Brasil em processo de empobrecimento, sendo exaurido de tudo (minérios, florestas, fronteiras), muito parecido ao que assistimos atualmente. A segunda bandeira demonstra a esperança na construção de um país melhor. Foi feita na época da Assembleia Nacional Constituinte, que promulgou em 1988 a atual Constituição Brasileira, hoje irreconhecível.

Categorias:Vivendo

DICA – Conserto de chaleira elétrica Cadence Supreme CEL500 4 temperaturas

4 de junho de 2017 2 comentários
Figura 1 – Chaleira elétrica Cadense Supreme CEL500.

Figura 1 – Chaleira elétrica Cadense Supreme CEL500.

As chaleiras ou jarras elétricas são aparelhos simples e práticos, pois poupam tempo naqueles momentos de pressa, quando estamos a fazer arroz, galinhada ou risoto e esquecemos da água…

No entanto, mesmo com utilização eventual, elas podem apresentar problemas. A chaleira da figura 1, com pouco tempo de uso, simplesmente não ligava. Neste artigo, mostramos como o conserto foi feito, com baixo custo. Leia mais…

ÍNDICE – Desde o começo do blog, até maio de 2017

23 de maio de 2017 2 comentários

Vivemos com listas. Para ir ao mercado, para ordenar o trabalho, para tudo. O escritor Humberto Eco até escreveu um livro sobre isto (“A vertigem das listas”, ed. Record). Para ele, as listas são a origem de nossa cultura. Uma lista pode ajudar ou atrapalhar, depende do modo como foi organizada.

Os blogs e as páginas web são, geralmente, enfadonhos de se buscar algum conteúdo específico, pois temos que passar por páginas e mais páginas até encontrarmos o que queremos. Ou não. Como este blog pretende dispor de um conteúdo menos efêmero, organizei uma lista com todos os posts publicados até agora.

De novembro de 2011, quando comecei, até maio de 2017, foram 74 posts. Alguns, certamente, muito extensos. Nestes 5 anos e pouco, mais de 2 milhões de acessos. Muito obrigado, leitores.

Assim, para aqueles que costumam ler este blog seguidamente, devolvo-lhes uma lista, que sintetiza o trabalho feito até agora, organizada por assunto. Cada link foi citado apenas uma vez, para não aumentar desnecessariamente o tamanho do índice. Por isto, meu modo de organizá-lo poderá parecer um tanto limitado.

Apesar disso, tenho uma dica, caro leitor ou leitora: aperte as teclas CTRL F, juntas. Com isso, abrirá um campo para busca na página. A tecla F refere-se a find (encontrar). Se a palavra procurada existir neste post, ela ficará destacada. Em princípio, todos os navegadores disponibilizam este recurso.

E sobre os links existentes nos posts, que costumo colocar vários em cada artigo. Poderá ocorrer, em posts mais antigos, que alguns links não funcionem, pois ficaram desatualizados. Pode-se driblar o problema de 3 formas: informar-me, através de comentário, que o link está quebrado; digitar somente o começo do link, como por exemplo http://weg.com.br e lá dentro procurar o assunto desejado; ou utilizar a descrição do link para procurar no Google.

Aplicação Título do post Publicação
BANCADA DICA – Como enrolar transformadores toroidais 20/04/14
BANCADA DICA – Conserto de cafeteira Philips Senseo 19/01/14
BANCADA DICA – Como rosquear parafusos autoatarrachantes 16/08/13
BANCADA DICA – Evite a perda do canudinho do óleo desengripante 23/01/13
BANCADA DICA – Facilite suas medições de componentes 24/08/13
BANCADA FERRAMENTA – Faca multiuso para eletrônica 04/10/12
BANCADA FERRAMENTA – Quarta mão para soldagem 30/10/12
BANCADA FERRAMENTA – Terceira mão para soldagem 29/10/12
BANCADA FERRAMENTA – Um modo simples de enrolar bobinas 24/11/12
BANCADA TÉCNICA – Conserto de aleta direcionadora de ar condicionado split 16/01/17
BANCADA TÉCNICA – Conserto de alto-falantes 18/10/12
BANCADA TÉCNICA – Conserto de trilhas de circuito impresso II 11/01/13
BANCADA TÉCNICA – Conserto em borrachas – chinelos Havaianas 13/11/12
BANCADA TÉCNICA – Conserto em plásticos I – Polietileno 17/10/12
BANCADA TÉCNICA – Conserto em plásticos II – Polietileno 25/10/12
BANCADA TÉCNICA – Conserto em plásticos III – ABS, poliuretano e outros 31/10/12
BANCADA TÉCNICA – Conserto em plásticos IV – Resina acrílica 31/10/12
BANCADA TÉCNICA – Conserto em plásticos V – Utilizando resina para reparo em gabinete plástico 06/11/12
BANCADA TÉCNICA – Conserto em plásticos VI – Recuperação de aba móvel 10/01/13
BANCADA TÉCNICA – Plásticos VII – Conserto de interruptor de parede, de embutir 25/01/13
BANCADA TÉCNICA – Reparo de trilhas de circuito impresso 30/10/12
COMPUTADOR NOTEBOOK – Como consertar o plugue da fonte 19/04/12
COMPUTADOR NOTEBOOK – Reforma do plugue da fonte 30/09/13
COMPUTADOR REDE – Instalando tomada RJ45 de parede 09/05/12
COMPUTADOR TÉCNICA – Adaptando tela LED no notebook Acer 4740 25/10/12
COMPUTADOR TÉCNICA – Conserto de impressora Samsung ML-3051ND 15/01/13
COMPUTADOR DICA – Revivendo o servidor Dell Power Edge 2950 05/02/17
CONSERTO DICA – Conheça e conserte ventiladores de teto 31/12/14
CONSERTO DICA – Conserto da tomada do fone de MP3 01/11/12
CONSERTO TÉCNICA – Como transformar uma torradeira 110V para 220V 04/03/13
CONSERTO TÉCNICA – Conserto da fonte de XBOX 360 S (Slim) que foi ligada em 220V 27/02/13
CONSERTO TÉCNICA – Conserto de Adega Climatizada Eletrônica 01/12/13
CONSERTO TÉCNICA – Conserto de controle remoto de portão eletrônico 19/03/13
CONSERTO TÉCNICA – Conserto de fonte chaveada com saída variável de 12 até 24V 06/06/13
CONSERTO TÉCNICA – Conserto de plugues NBR em fontes e conversores 01/11/12
CONSERTO TÉCNICA – Conserto de telefone sem fio Panasonic, por causa de inversão dos pólos da bateria 13/08/13
CONSERTO TÉCNICA – Conserto do carregador Force Line 248 20/11/12
ELETRICIDADE ATERRAMENTO – Salvar vidas é importante 03/02/14
ELETRICIDADE DICA – Porque não usar adaptadores 20/10/14
ELETRICIDADE DICA – Trocando um plugue NEMA por NBR 06/02/14
ELETRICIDADE Porque é BOM o novo padrão NBR de plugues e tomadas 19/09/12
INFORMAÇÃO Pré-sal: a ponta do iceberg do petróleo brasileiro 23/05/17
INFORMAÇÃO A chave do cofre 16/04/16
INFORMAÇÃO O cacarejar da galinha 20/03/16
INFORMAÇÃO Úbris, Nêmesis ou apenas canídeos 05/03/16
INFORMAÇÃO Ditadura/Democracia 15/08/15
INFORMAÇÃO Também temos coisas boas 12/04/15
LUZ FILAMENTO LED – Conheça e compare – Parte 2 28/08/16
LUZ FILAMENTO LED – Conheça e compare – Parte 1 20/12/15
LUZ AS LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS PODEM DANIFICAR A PELE? 06/10/13
LUZ LÂMPADAS I – Porque as fluorescentes compactas ofuscam, mas não iluminam 05/12/12
LUZ LÂMPADAS II – Qual é a lâmpada menos danosa ao ambiente – a incandescente ou a fluorescente? 04/01/13
LUZ LED – Agora, só lâmpadas certificadas 22/02/17
LUZ LEDs – Como é uma lanterna recarregável 16/08/14
LUZ LEDs – Anel para fotografia macro 22/05/13
LUZ LEDs – Como ligar, sem queimar 11/04/13
LUZ LEDs – Melhoria de luz de emergência 03/11/13
LUZ LUZ DE EMERGÊNCIA LED – Conserto e funcionamento 04/05/12
LUZ TÉCNICA – Conheça e conserte os reatores eletrônicos das fluorescentes 10/10/13
PROJETO Alerta audível para o motociclista 01/03/12
PROJETO PROJETO – Fonte de precisão de 0-40VCC e 0-4A 12/06/14
PROJETO PROJETO – Carregador de uma, duas ou + baterias seladas 16/11/12
PROJETO PROJETO – Proteção para relés em sistemas de acionamento de portões 27/12/12
PROJETO PROJETO – Um atenuador (L-pad) para amplificadores valvulados de guitarra 30/11/12
PROJETO TÉCNICA – Projeto, confecção e montagem de placas de circuito impresso 28/11/12
RECICLAGEM DICA – Para quem usa sabão e ajuda em casa 22/11/12
RECICLAGEM ISOPOR – Usando laranjas para reciclar 20/08/12
RECICLAGEM Juntador de coisas 24/11/11
RECICLAGEM O SHOPPING DA SUCATA 20/09/13
RECICLAGEM RECICLAGEM – Fonte de PC 11/05/12
SOM TÉCNICA – Como instalar microfone externo em câmera tipo GoPro 14/05/17
SOM Instalando falantes no Logan 05/04/12
SOM SOM – Uma caixa acústica pequena, mas decente 12/11/12
SOM Som no LOGAN – Melhorando a instalação no tampão 27/09/12

Atentamente, Eusébio Pizutti

\ep/

TÉCNICA – Como instalar microfone externo em câmera tipo GoPro

14 de maio de 2017 Deixe um comentário
Figura 1 – Câmera semelhante à GoPro, com conexão para microfone externo.

Figura 1 – Câmera semelhante à GoPro, com conexão para microfone externo.

Este artigo demonstra como instalar uma tomada (ou jaque, ou jack) para microfone externo, numa câmera semelhante à GoPro, com 4K de resolução e Wifi (figura 1). As medidas, furações e ligações são descritas em detalhes e abordam a câmera e a caixa estanque.

Também é mostrado como adaptar um microfone comum de computador, para funcionar como microfone de capacete. Como complemento, são repassadas dicas de gravação, exemplos de proteções contra ruídos e listados alguns modelos profissionais de microfones para gravação. Por último, tratamos das interferências eletromagnéticas na ligação do microfone.
Leia mais…

LED – Agora, só lâmpadas certificadas

22 de fevereiro de 2017 2 comentários
Figura 1 – Lâmpadas LED Brilia, com selos ENCE (Etiqueta Nacional de Conservação de Energia) de certificação LED INMETRO/PROCEL, já à venda em supermercado.

Figura 1 – Lâmpadas LED Brilia, com selos ENCE (Etiqueta Nacional de Conservação de Energia) de certificação LED INMETRO/PROCEL, já à venda em supermercado.

Em visita a dois grandes supermercados da Região Sul (Bourbon e Angeloni), no início de 2017, tive a grata surpresa de encontrar à venda lâmpadas LED com o selo PROCEL, do INMETRO. Atenção: Não é aquele selo com classificação de letras, as lâmpadas LED usam uma etiqueta diferente, só delas, olhe a figura 1 acima.

São as tais lâmpadas LED certificadas. Conheça as vantagens da certificação de lâmpadas LED e a partir de quando as regras serão compulsórias (obrigatórias) para os fabricantes, distribuidores e vendedores.

Leia mais…

DICA – Revivendo o servidor Dell Power Edge 2950

5 de fevereiro de 2017 4 comentários
Figura 1 – Painel frontal do servidor Dell Power Edge 2950.

Figura 1 – Painel frontal do servidor Dell Power Edge 2950.

O servidor Dell Power Edge 2950 é um tanto antigo, mas ainda presta muitos serviços pelo mundo afora (figura 1). No nosso caso, dois equipamentos apresentaram quase ao mesmo tempo problema idêntico: não inicializavam. O pequeno display no painel mostrava, intercaladamente, os erros:

– E1000 FAILSAFE, CALL SUPPORT

– E1216 3.3V PwrGd

– E1218 PCI Rsr 5V

É um problema de solução simples, a troca de um capacitor. Mas não é tão fácil quanto parece.

Conheça os métodos utilizados para efetuar a substituição e as características requeridas dos capacitores eletrolíticos para circuitos digitais. E saiba como utilizar os modernos capacitores de polímero condutivo sólido.
Leia mais…