Anúncios
Início > Manutenção > TÉCNICA – Plásticos VII – Conserto de interruptor de parede, de embutir

TÉCNICA – Plásticos VII – Conserto de interruptor de parede, de embutir

25 de janeiro de 2013

Figura 1 – Tecla quebrada por motivo de "força maior". No detalhe, pode-se ver o lado danificado.

Figura 1 – Tecla quebrada por motivo de “força maior”. No detalhe, pode-se ver o lado danificado.

Desta vez, a manutenção é para uma tecla de um interruptor de embutir, que quebrou no encaixe da gangorra (figura 1 e no detalhe). O problema aconteceu por causa do costume de um dos moradores sempre ligar ou desligar a luz na base do tapa ou até soco.

Como a quebra foi simples, além do interruptor custar muito caro, procuramos uma forma de consertá-lo. Levou poucos minutos (descontando o tempo de secagem da cola).

Retirando com cuidado as peças, pode-se notar que elas são apenas três: a tecla, o contato móvel e a base (figura 2). Neste modelo, a mola da gangorra fica presa à tecla, o que diminui as dificuldades de remontagem.

Para o conserto, a tecla foi limpa completamente, utilizando um pedaço de papel macio, para remover algum lubrificante.

Figura 2 – Interruptor de embutir desmontado.

Figura 2 – Interruptor de embutir desmontado.

Figura 3 – Preparo do acrílico autopolimerizante.

Figura 3 – Preparo do acrílico autopolimerizante.

Figura 4 – Tecla consertada, como se vê no detalhe.

Figura 4 – Tecla consertada, como se vê no detalhe.

Figura 5 – Posicionamento do contato móvel.

Figura 5 – Posicionamento do contato móvel.

Figura 6 – Posicionamento da mola que faz o efeito de gangorra.

Figura 6 – Posicionamento da mola que faz o efeito de gangorra.

Figura 7 – Tecla pronta para encaixar.

Figura 7 – Tecla pronta para encaixar.

Figura 8 – Interruptor consertado e remontado.

Figura 8 – Interruptor consertado e remontado.

Depois foi passado um pouco de solvente, como álcool ou benzina. A benzina é melhor para remover graxas. Deve-se aguardar algum tempo para a peça secar, pois um resíduo de solvente impede o uso de cola.

Nesta tecla, a peça quebrada não chegou a soltar, o que ajudou bastante para reposicioná-la. Isto foi feito com cola de cianoacrilato (Super Bonder ou Scotch 3M). Esta cola, somente, não é suficiente para consertar bem a tecla, ela apenas foi utilizada para manter a peça quebrada no lugar certo.

Após secar a cola, foi preparada uma pequena quantidade de acrílico autopolimerizante (fig. 3), conforme as orientações repassadas em post anterior. Foi necessário muito cuidado para o acrílico não espalhar-se na parte móvel da tecla, o que arruinaria o trabalho.

Também foi reforçado o lado não quebrado, para evitar problemas futuros (fig. 4). E aguardou-se um dia para remontar o conjunto, pois o acrílico amolece o plástico no seu entorno, durante a aplicação.

Para a remontagem, o contato móvel é posicionado como na fig. 5. A mola da tecla vai encaixada na pequena saliência central, como se vê na fig. 6. Com cuidado para não desalinhar o contato móvel, aplica-se uma pressão na tecla, de modo que os dois lados encaixem ao mesmo tempo (figuras 6 e 7). E está pronto.

Anúncios
  1. tiago
    2 de julho de 2014 às 20:20

    Sensacional!!!! Muito obrigado! Me ajudou de verdade.

  2. Rodrigo
    6 de março de 2013 às 17:11

    Internet tem de tudo mesmo. Valeu pela dica. Tava na dúvida em como montada a peça de ferro no interior.

  1. 8 de março de 2015 às 00:26
  2. 15 de janeiro de 2014 às 17:44
Comentários encerrados.
%d blogueiros gostam disto: