Anúncios
Inicial > Eletrônica, Manutenção > TÉCNICA – Conserto de fonte bivolt XBOX compatível

TÉCNICA – Conserto de fonte bivolt XBOX compatível


Figura 1 – Identificação dos polos do conector da fonte XBOX para o modelo 360 S.

Figura 1 – Identificação dos polos do conector da fonte XBOX para o modelo 360 S.

Conserte e compreenda o funcionamento de uma fonte bivolt, compatível com a plataforma XBOX 360 S.

Saiba como adaptar uma fonte ATX para ser comandada pelo XBOX, da mesma maneira que a original. É uma alteração totalmente reversível.

Teste da fonte XBOX 360 S

Primeiramente, vamos comprovar se a fonte de alimentação está com defeito mesmo.

Pode-se testar qualquer fonte do XBOX 360 S, isolando as capas internas do conector da fonte com dois tocos de espaguete ou de canudinho de refrigerante. Inserindo cada pedaço num dos plugues, eles servem para isolar as conexões. Assim, consegue-se ativar a fonte (LED na cor verde) e medir as tensões da saída, como demonstra o vídeo acima.

Após fazer a conexão de ativação, pode demorar alguns instantes para o LED ficar verde, depende da fonte.

Caso ocorra algum curto-circuito, a fonte entrará em proteção e provavelmente ficará bloqueada. A solução será desligá-la da rede elétrica, aguardar vários minutos até descarregar todos os capacitores, para recomeçar os testes.

Pode-se também só conectar a fonte ao XBOX (sem ligar na rede elétrica) e apertar o botão para ligar. Isso costuma descarregar os capacitores da fonte.

Olhe cuidadosamente a figura 1. O conector da fonte do XBOX 360 S engana, pois a capa metálica externa de cada um dos plugues NÃO TEM NADA A VER com a respectiva face interna, são conexões diferentes!

As duas mangas externas são ligadas ao GND (terra ou zero volt) e as duas faces internas, ao +12V. No entanto, só é possível medir esses 12V após ativar a fonte. Os +5Vsb (StandBy) podem ser medidos a qualquer tempo, pois esta tensão é fornecida permanentemente à console, para que ela possa comandar a fonte.

Olhando o conector da fonte com a face chanfrada virada para baixo, o pino do plugue esquerdo é a entrada PS_ON (ou CTL, em fontes compatíveis). O pino do plugue direito é a saída dos +5Vsb da fonte, que possibilita à console controlar a energia. Basicamente, o que a console faz para ativar a fonte é ligar o PS_ON no +5Vsb, como demonstramos no vídeo.

Ligou a fonte XBOX original em 220V?

Se a fonte não funcionar, pode ser que ela tenha sido indevidamente ligada em 220V. Fiz um post sobre este problema, que é extremamente comum, acesse o artigo AQUI.

Comparação entre a fonte XBOX original e a imitação

A maior vantagem, em relação ao modelo original para o XBOX 360 S é que a cópia é bivolt automático, não queima por ligar em 220V. Mas com o uso, aparecem outros problemas, que são resultado das economias de projeto.

Figura 2 – Etiquetas de fontes para o XBOX 360 S. A da direita é o original, a da esquerda é a cópia, de marca desconhecida e bivolt automático.

Figura 2 – Etiquetas de fontes para o XBOX 360 S. A da direita é o original, a da esquerda é a cópia, de marca desconhecida e bivolt automático.

Figura 3 – Vista das fontes pelo lado do LED, a fonte da direita é a original.

Figura 3 – Vista das fontes pelo lado do LED, a fonte da direita é a original.

Figura 4 – Vista das fontes pela entrada da rede elétrica, a fonte da direita é a original.

Figura 4 – Vista das fontes pela entrada da rede elétrica, a fonte da direita é a original.

Figura 5 - Vista lateral das fontes, a de cima é a original.

Figura 5 – Vista lateral das fontes, a de cima é a original.

Figura 6 – Vista interna das ventoinhas, a de cima é a original.

Figura 6 – Vista interna das ventoinhas, a de cima é a original.

A fonte compatível deixa a desejar, por exemplo, na ventilação dos componentes. Comparando com a original (figuras 2 a 6), há menos aberturas de ar, o que pode piorar o desempenho em lugares quentes. Além disso, a ventoinha é montada na tampa, em cima do estágio primário, mas é o secundário que mais aquece, como se nota nas manchas escuras da placa (figura 7). A fonte original tem a ventoinha no mesmo lugar, mas há um caminho bem determinado para o fluxo de ar atingir as peças mais quentes. Inclusive, a ventoinha fica escondida na tampa.

A capacidade de corrente é outra característica importante, pois uma fonte para o XBOX 360 S precisa fornecer pelo menos 9,6A em 12V e 1A em 5V, que totalizam 120W de potência. Neste quesito a fonte imitação fornece mais que o necessário. Segundo a etiqueta do fabricante, ela entrega 10,83A na linha de +12V e 1A no ramo de +5Vsb (135W de potência).

Para comparação, na figura 8 aparece a placa de uma fonte original XBOX. Este modelo é mais curto que outra fonte, também original, abordada em post anterior (VER AQUI).

Figura 7 – Localização dos capacitores C19 e C20 na fonte compatível. Junto deles é possível perceber que a placa ficou mais escurecida, devido ao aquecimento.

Figura 7 – Localização dos capacitores C19 e C20 na fonte compatível. Junto deles é possível perceber que a placa ficou mais escurecida, devido ao aquecimento.

Figura 8 – Placa da fonte original do XBOX.

Figura 8 – Placa da fonte original do XBOX.

O defeito

Ao abrir a fonte, ela exalava aquele cheiro característico de componente eletrônico queimado. O capacitor eletrolítico C20, de 2200uF/25V, estava estufado. Ao medi-lo, sua capacitância estava quase na metade do valor nominal (figura 9). Por sorte não vazou, senão teria que limpar toda a placa com álcool isopropílico, pois o eletrólito desses capacitores é corrosivo e condutor de eletricidade.

O capacitor seguinte na linha de 12V, C19, também tinha a capacitância diminuída e estava com 2000uF, 10% abaixo do valor de fábrica. É o limite inferior de tolerância para eletrolíticos, que fica entre -10% e +30%. C19 forma um filtro π (a letra grega Pi) com L1 e C20, que é muito eficiente para “amansar” a ondulação (ripple) da linha de 12V.

Figura 9 – Capacitor C20, de 2200uF/25V. Observe que a capacitância dele está bem abaixo do valor nominal.

Figura 9 – Capacitor C20, de 2200uF/25V. Observe que a capacitância dele está bem abaixo do valor nominal.

Como o capacitor C20 é o primeiro a filtrar os 12V depois da retificação, ele fica sujeito a maior aquecimento que os capacitores subsequentes, pois trabalha com pulsos limpos, com o máximo de ondulação. E a linha de +5Vsb é extraída junto dele, o que ajuda a aumentar o ripple.

Além disso, altas frequências de trabalho não harmonizam com altas capacitâncias. Capacitores de grande valor tem elevada autoindutância e precisam de maiores tempos de carga e descarga. É a tal da reatância do capacitor (impedância), que quanto mais alta for, mais irá rejeitar a troca rápida de estado. Por isso eles aquecem quando são exigidos em ciclos de carga e descarga de alta intensidade e velocidade.

A solução para isso seria distribuir o valor necessário de capacitância entre 2 ou 3 capacitores, pois cada um deles terá uma autoindutância muito menor, diminuindo sensivelmente a geração de calor. Em razão dos custos, muitos fabricantes preferem passar batido por isso.

Além desses componentes, o LED bicolor estava com a cor verde queimada. A cor verde indica o funcionamento normal. É provável que o LED tenha queimado após C20 estufar, pois isso elevou o nível de ripple da fonte e pode ter estressado o componente.

Por precaução, também foram trocados C3 e C13, ambos de 22uF/50V, pois são responsáveis, respectivamente, pela filtragem da tensão para o conversor PWM e pelo estágio de ativação da saída, formado por Q5, Q6 e IC2.

Figura 10 – Esquema da fonte bivolt automático, compatível com XBOX 360 S.

Figura 10 – Esquema da fonte bivolt automático, compatível com XBOX 360 S.

O circuito

A figura 10 mostra o esquema extraído desta fonte. Clicando na imagem com o lado direito do mouse, escolha abrir nova aba (ou guia), para acompanhar as explicações com o desenho em tamanho normal. Alerto que a intenção deste desenho é somente informativa, para ajudar no diagnóstico. Não foram identificados os capacitores SMD e os diodos. Eventualmente, poderá haver algum erro no esquema, por causa do pouco tempo que tive para desenhá-lo.

Uma característica deste circuito é que nas referências de vários componentes não são respeitadas as respectivas funções, elas simbolizam mais o encapsulamento. Por exemplo, o regulador Q2 e os diodos Q7 e Q8 não são transistores, apesar de usarem invólucro TO-220. Do mesmo modo, IC2, que tem encapsulamento de circuito integrado (SO-8), mas é um transistor.

Além disso, as cores dos fios de conexão com a console não são as mesmas utilizadas pela fonte original, como demonstra a figura 11. No modelo compatível, o fio branco corresponde ao +5Vsb (StandBy – tensão sempre presente), o vermelho ao +12V, o verde é do CTL (PS_ON) e o preto é o terra (ground, GND, cujo potencial é zero Volt).

Na fonte XBOX original, as cores são quase todas iguais às do padrão de fontes ATX. O fio vermelho é do +5Vsb, o amarelo é do +12V, o azul é o do PS_ON e o preto é o terra. Há também um fio cinza, para o sensor de corrente (Rsense), ligado dentro do plugue ao terra. A conexão Rsense não existe na fonte compatível.

Figura 11 – Conexões da fonte XBOX com a console, a fonte original é a da direita.

Figura 11 – Conexões da fonte XBOX com a console, a fonte original é a da direita.

Figura 12 - Placa da fonte compatível XBOX, lado cobreado. O lado primário está à esquerda das fendas verticais de isolamento, compare com a figura 7 e com o esquema.

Figura 12 – Placa da fonte compatível XBOX, lado cobreado. O lado primário está à esquerda das fendas verticais de isolamento, compare com a figura 7 e com o esquema.

Se traçarmos uma linha vertical que passe pelo meio do transformador do esquema da figura 10, à esquerda fica o lado “vivo”, ligado ao primário do transformador. É o estágio de chaveamento, que pode causar choques fatais, muito cuidado, portanto. O integrado IC1 (OB2269, com encapsulamento SMD de 8 pinos SO-8, é o conversor PWM (Pulse Width Modulation – Modulação por Largura de Pulso). Ele está montado no lado cobreado da placa (figura 12, também à esquerda). A folha de dados – datasheet – do OB2269 está AQUI.

À direita daquela linha vertical imaginária fica o secundário, responsável pela retificação e filtragem da tensão de 12V. O transformador também tem nesse lado uma saída de tensão exclusiva, via D6 e C13, para o estágio de estabilização (Q3, IC3 e arredores).

A tensão de saída é monitorada por Q3 (TL431 – uma conhecida referência de tensão, cuja folha de dados está AQUI). Ele recebe a informação através do divisor de tensão formado por R20 em paralelo com R24, ligados na linha de 12V, junto a C19. A outra metade do divisor de tensão é R22, ligado à terra. As variações de corrente sobre o TL431 são repassadas para o acoplador óptico IC3 (PC817, folha de dados AQUI).

Assim, a luminosidade do LED interno do acoplador óptico acompanha a tensão de saída, que num primeiro momento varia conforme o consumo. Isso altera a polarização do fototransistor (pinos 3 e 4 de IC3). A acoplamento óptico entre o LED e o fototransistor, ambos dentro do PC817, garante uma isolação galvânica de 5000V, o que permite interligar estágios com tensões e impedâncias muito diferentes.

O fototransistor, por sua vez, altera a corrente no pino 2 (FB = feedback = realimentação) do conversor OB2269, que então compensa a largura dos pulsos (sinal PWM) entregues ao transistor Q1. O transistor MOSFET Q1 (WFF10N60, folha de dados dele AQUI) realiza o chaveamento do transformador.

Os pulsos induzidos no secundário desse transformador, após retificação e filtragem, originam a tensão contínua de 12V. É a largura ajustável desses pulsos entregues a Q1 que estabiliza a tensão de saída de 12V, dependendo do consumo de corrente, informação essa repassada (realimentada) ao primário pelo acoplador óptico.

A saída de +5Vsb é regulada independentemente pelo 7805.

Segundo a folha de dados do OB2269, a frequência de trabalho do oscilador PWM é dada pelo resistor ligado no pino 4 (RI), pela fórmula F=6500/R. O resultado é dado em KHz, mas creio haver algum erro aí, pois o valor de R43, ligado no pino 2 é de 24K, o que daria uma frequência de 0,270 Khz. Isso dá 270Hz, o que é inadmissível, pois é frequência muito baixa, audível. Não medi a frequência de trabalho, mas pelo tamanho do transformador, deve ser 27KHz ou 270KHz.

A tensão de 12V é retificada por dois diodos duplos, que infelizmente, esqueci de identificar. Certamente são diodos muito rápidos, cada em deve aguentar pelo menos 2x6A. Na fonte original XBOX original, só tem um diodo Schottky, de 2x15A, o STPS3045CTC, a folha de dados dele está AQUI.

Os +5Vsb são extraídos da linha de +12V, através do regulador 7805 (Q2). Este regulador fornece corrente máxima de 1A, mas para fornecer esta corrente, deveria estar acoplado a um bom dissipador. Provavelmente a console não usa toda a capacidade de corrente. A folha de dados do 7805 está AQUI.

A linha de +12V é ativada pelo transistor MOSFET IC2 (HP4401DY), que parece um circuito integrado, pois usa um encapsulamento SMD de 8 pinos (SO-8), como se nota na figura 13. Nestes encapsulamentos, quando há vários pinos soldados junto é sinal que eles tem a mesma função e servem para aumentar a capacidade de corrente. Nesse caso, o terminal 4 é a porta (gate), os pinos 1,2 e 3 são do supridouro (source) e os pinos 5, 6, 7 e 8 são do dreno (drain). Este transistor funciona como uma chave e a folha de dados dele está AQUI.

Figura 13 – Lado cobreado do estágio secundário.

Figura 13 – Lado cobreado do estágio secundário.

Nesse circuito, o LED bicolor tem 2 funções: ao ligar a fonte na rede elétrica, as duas cores ficam acesas, gerando a luz laranja. Quando a console do XBOX aciona a fonte, o LED vermelho é aterrado por Q4, fazendo com que seja emitida só a luz verde. Q4 é ativado pelos +12V, que foram liberados por IC3. Devido a essa configuração, o LED vermelho jamais irá indicar algum estado de falha, como acontece com a fonte original.

OBSERVAÇÃO (29/03/2019) – Esta mesma fonte retornou pouco tempo depois, por mais duas vezes, com os mesmos capacitores estufados, apesar das melhorias efetuadas. A solução definitiva foi ligar o XBOX em fonte de computador.

XBOX ligado em fonte ATX (de computador)

Originalmente, este artigo mostrava como fazer para o XBOX funcionar com fonte ATX (e comandá-la), utilizando transistores MOSFET. Em testes posteriores, a sugestão apresentou instabilidades e suprimi aquele texto.

Simplifiquei o circuito e mostrei ele em novo post, acesse-o AQUI: DICA – XBOX ligado em fonte ATX.

O restante do texto, que comparava o funcionamento dos transistores MOSFETS com os bipolares, será transformado em outro artigo, inclusive com um projeto de fonte de alimentação com saída MOSFET.

Defeitos em XBOX

Para quem desejar conhecer várias dicas de conserto do console XBOX, recomendo o extenso trabalho de Adrian Callaghan [1], que pode ser baixado AQUI.

Há algum tempo, fiz um post sobre o problema de ligar a fonte do XBOX em 220V, e como consertá-la. Acesse-o AQUI.

E como curiosidade, Benjamin Heckendorn [2] mostra como fazer do XBOX 360 um laptop…

Bom proveito!

Referências

[1] Adrian Callaghan – XBOX Repair Guide http://adriancallaghan.co.uk/wp-content/downloads/Guides/XBOX_REPAIR_GUIDE.pdf

[2] Engadget – How to make an XBOX 360 laptophttps://www.engadget.com/2007/04/18/how-to-make-an-xbox-360-laptop-part-1/

\ep/

Anúncios
  1. Adailton
    3 de junho de 2019 às 19:23

    Olá, Tenho uma fonte original do xbox slim ela parou de funcionar quando abri estava com capacitor vazado e o fusível queimado, fiz a limpeza e troquei as peças e liguei em uma lampada em série, mas não funcionou e não indicou curto na placa o que pode ser ?
    Retirei um resistor mosfet N que não estava armando, mas não montei ainda, pode ser isto?

    • 16 de junho de 2019 às 21:59

      Certamente, se o transistor Mosfet não funciona na bancada, ele provavelmente estará aberto ou em curto. Cuide que alguns circuitos tem um resistor de dreno, de baixo valor, que abre junto, quando o transistor queima. É um fusistor (resistor fusível), quase sempre na cor azul ou cinza claro, ou ainda salmão. É um resistor com acabamento fosco, o corpo não brilha como o dos resistores comuns.

  2. Alexandre
    22 de abril de 2019 às 07:26

    Peguei um Xbox com drive defeituoso e o mesmo veio com uma fonte destas. Percebi que quando exigida a fonte esquenta muito, a ponto de não ser possível manter a mao encostada. Abri e me deparei com esta ventoinha inútil, pois só faz o ar confinado circular. Improvisei um duto com fita adesiva para as 3 ranhuras de ventilação do lado primário, as três ranhuras do lado secundário servem de entrada. Diminuiu a temperatura drasticamente, agora fica morna.

    Outra coisa que notei é que não existe o filtro de ruído que vejo em suas fotos. Ao ligar a fonte na tomada já se percebe ruido na TV em QQ entrada analógica (vídeo composto, s-video ou componente), ao ligar o Xbox o ruído se torna bastante desagradável, pretendo corrigir isso em breve.

    Uma dúvida, não notei nenhum fusível e varistotor, isso é dispensável em fontes bivolt automática?

    • 23 de abril de 2019 às 22:47

      Alexandre, valeu pelas dicas, é muito bom ter um retorno assim.

      As fontes que conserto, geralmente eu costumo colocar filtros de RF, até porque já tem a espera e é só pegar de alguma fonte de PC queimada.

      Quanto ao fusível, ele protege contra incêndios, é imprescindível e pode vir até feito em trilha de cobre, na placa de circuito impresso. Eventualmente, fazem uma bobina impressa, que bloqueia os raios (evapora, porque raios não fazem curvas), falei sobre isso no meu artigo sobre reatores de lâmpadas fluorescentes: https://dicasdozebio.com/2013/10/10/1358/

      Já o varistor é uma forma de proteger contra excessos de tensão, como por exemplo um aparelho 110V, ligado em 220V. Antes dele, é obrigatório o fusível, pois o varistor é um curto-circuito quando sua tensão limite é ultrapassada. Inclusive, ele pode ficar em curto depois do surto, por isso a necessidade do fusível.

  3. Fernando
    14 de abril de 2019 às 22:44

    Muito bom , elzebio boa noitens você té ria o esquemático de fonte original xbox one porque eu estou na dúvida do resistor R1 troquei o mosfet k15a 50d apareceu os 5 volt mas quando tenta arma ela apaga , eu troquei esse resistores R1 por um de 5,8ohm porque essa cor dele deixa muito na dúvida, nem na loja a atendente encontrou dele

    • 23 de abril de 2019 às 22:53

      Fernando, não tenho o esquema, mas cuide se não há capacitores eletrolíticos estufados, especialmente o grandão, da entrada da rede elétrica. Se a capacitância dele for abaixo do normal, pode causar esse defeito.

      Para observar corretamente a cor, sem dúvidas, olhe o resistor à luz do sol, de preferência ao meio-dia, que a luz é mais branca. É a fonte de luz ideal, e não deixa dúvidas.

  4. Rodrigo GOnsioroki
    15 de março de 2019 às 20:36

    Boa noite, emprestei meu xbox para um colega com nobreak o animal kkk ligou direto no 220v sendo a fonte 127v, com o tempo livre e uma fonte atx coloquei os 12v e 5v pra testar e bombou so que começei a emendar e liguei o ps_on no gnd e o xbox faleceu e um xbox placa falcon alguem pode ajudar ??

    • 29 de março de 2019 às 18:05

      Rodrigo, não sei se ajuda, hoje postei um artigo sobre como ligar uma fonte ATX no XBOX.

      Eu tentaria seguir o caminho do PS_ON dentro do console, ele deve passar por um transistor, junto da chave Power, e daí para o +5VSB.

  5. Alair
    21 de fevereiro de 2019 às 10:49

    Bom dia, gostaria de saber se esses esquemas também serve para fazer uma fonte para Xbox One!

    • Alair
      22 de fevereiro de 2019 às 14:49

      Fiz esse esquema sem o ps_on, ligou direitinho funciona todos os app mas quando coloco um jogo o console desliga,vou fazer a parte do ps_on pra testar novamente mas gostaria de saber se é o mesmo esquema também, Xbox One além do ps_on tem um rsense que no conector do console é ligado no gnd mas na fonte parece que é um retorno da ventoinha, tava pensando em ligar direto no verde da fonte ATX, será que dá certo

      PS: obrigado pela atenção

      • 12 de março de 2019 às 00:52

        Alair, o meu circuito de acionamento de fonte de PC tem umas instabilidades que descobri depois, daqui a alguns dias arrumo o artigo, o circuito é bem mais simples do que mostrei aqui.

        O Rsense é um ponto de monitoramento de corrente, ele informa ao circuito o consumo. Se a amperagem estiver alta demais, o circuito desliga ou entra em proteção. Na prática, é o mesmo GND do resto do circuito.

    • 12 de março de 2019 às 00:56

      Alair, se os conectores forem idênticos, é bem provável que o fabricante repetiu a configuração no XBOX One. Mas, não conheço para afirmar com certeza, estou considerando que a microsoft não faria um conector igual com ligações diferentes, incompatíveis.

  6. Felippe Miguel
    22 de dezembro de 2018 às 12:35

    Oi, estava procurando o esquema da fonte e finalmente achei aqui! muito obrigado.
    ps: vou criar uma cópia no formato .fzz (para o programa de esquematics “fritzing”, depois posto aqui.

    • 23 de dezembro de 2018 às 00:42

      Olá, Felippe, certo, seja bem vindo.

  7. elio galdino
    11 de outubro de 2018 às 18:25

    minha fonte queimou o resistor 811 porem nao consigo enxergar o valor dele

    • 14 de outubro de 2018 às 14:15

      Elio, infelizmente não tenho nenhuma placa do XBOX mais, nem as fotos tem detalhes deste resistor, talvez algum internauta possa ajudar.

  8. Paulo
    17 de setembro de 2018 às 11:09

    Bom dia, a fonte do meu xbox queimou (placa original) e estou com dificuldades para identificar o U2 e ZD1 (parecer ser 8V2 ou 3V2), saberias informar? Obrigado.

    • 24 de setembro de 2018 às 01:31

      Paulo, infelizmente, não tenho mais nenhuma fonte de XBOX 360 disponível para verificar.

      • Paulo
        4 de outubro de 2018 às 17:55

        Eusebio, estava tentando ressuscitar a fonte que veio junto com o xbox, pensava que fosse a original, mas segundo me informaram se trata de similar também… portanto, voltei novamente para outra similar que tenho, essa apresenta na saída 3V e 6,5V, onde deveria ter 5V e 12V, respectivamente. No capacitor da entrada tem 211V. Saberia informar por que essas tensões menores na saída? Obrigado.

      • 4 de outubro de 2018 às 22:52

        Paulo, como sempre eu começaria pelos capacitores com marcas de aquecidos ou estufados e trocaria todos. Depois, ressoldaria todos os pontos de solda ruins.

        A tensão de 211V no capacitor de entrada é típica para redes em torno de 127VCA. Se é o seu caso, aquele ponto está correto, seria interessante verificar com osciloscópio o nível de ondulação (ripple) da rede elétrica deste ponto, pois pode dificultar o funcionamento correto da fonte.

        Estou considerando que o esquema de sua fonte é semelhante ao que publiquei neste artigo.

        Como as duas tensões do secundário estão baixas, eu testaria inicialmente a tensão no secundário, logo no primeiro capacitor de filtragem, antes de qualquer transistor ou regulador. Pode ser o diodo retificador, podem ser os capacitores de filtragem, a referência de tensão (TL431) ou ainda o optoacoplador, que realimenta para o transistor de chaveamento o nível de tensão de saída.

  9. adilson
    22 de julho de 2018 às 01:14

    minha fonte do xbox só em vez de atingir os 5v só chega 3,7v e os 12v não chega só da 9,6v

    • 10 de agosto de 2018 às 22:01

      Adilson, creio que exista algum capacitor com defeito, provavelmente na entrada da rede elétrica, deve ser um ou dois, com tensão de trabalho de 200V, ligado(s) após a ponte retificadora. Se continuar o problema, volte a perguntar, vamos resolver isso.

  10. Luiz Antonio Castro
    27 de abril de 2018 às 09:32

    Parabéns, Euzébio. Você tratou do assunto com clareza e didática. Tive a resposta para a minha dúvida na fonte xbox e aprendi um monte de coisa a mais. Vai fundo que é disso que a gente precisa.

    • 1 de maio de 2018 às 23:47

      Luiz, obrigado pelas palavras de apoio, seja bem vindo ao blog. sobre a fonte do XBOX, tenho preparado um artigo para adaptar a fonte de PC de um jeito mais fácil, fica melhor que a fonte original, aguarde!

  11. A Jucelino F Sales - capuan - Caucaia - Ceará
    29 de março de 2018 às 13:17

    Encontrei por acaso este artigo. Estava a procurar apenas a configuração de um conector. Ao ver, fiquei muito impressionado com a quantidade e qualidade de informação
    inseridas. Parabéns! Sou técnico na manutenção de nobreaks e estabilizadores até 3kva e não podia deixar de fazer um comentário, pois a organização do material chama a atenção de quem gosta de eletrônica. Mais uma vez, parabéns.

    • 1 de abril de 2018 às 20:47

      Obrigado, Jucelino, são palavras como as suas que me levam a continuar este trabalho!

  12. D ANGELO DE OLIVEIRA E SILVA
    9 de setembro de 2017 às 09:36

    Cara, cada vez mais fã dos seus artigos. Se fossem mais numerosos, teria leitura semanal garantida! Imagino que o tempo lhe seja escasso, e por isso vale a pena esperar cada post – ainda que com grande latência.

    Grande abraço!
    D’Angelo

    • 10 de setembro de 2017 às 21:23

      D Angelo, realmente, gostaria de ter o dobro do tempo para fazer os artigos… Além disso, estou preparando mais uma parte dos filamentos LED, que está me absorvendo bastante. Daí, quando dá um tempo, no meio dos grandes artigos, coloco outros menores. E leve em conta que todos são feitos com muito esmero. Obrigado pela leitura, continue prestigiando, porque tem muitas novidades em breve!

      • DANGELO DE OLIVEIRA E SILVA
        11 de setembro de 2017 às 11:58

        Quanto ao prestígio, dê como certo! Atento ao e-mail.

        Sou professor universitário e, embora minha área de atuação não tenha ligação explícita com os temas aqui publicados, gosto de acompanhar a metodologia empregada para a criação de seus trabalhos. Como entusiasta e “hobista”, aprendo muito com suas revisões e explicações. Certamente são meus elogios compartilhados por muitos nesse país. Desejo muito sucesso!

      • 11 de setembro de 2017 às 22:47

        Dangelo, não posso dizer que tenho uma metodologia, pois não sou professor… Mas sempre gostei de ensinar o que aprendi. Isso me lembra da época de programação de computadores, lá por 1983, na universidade. Gostava tanto da disciplina que fiquei como monitor por dois semestres e apesar de haver outros monitores na época, havia muito o costume de fazer segredo sobre a tal da informática… Eu explicava tudo o que me pedissem, tinha sempre muito mais alunos para atender do que eles todos juntos. Porque senti na pele quando quis aprender e ficavam me enrolando, tive que fazer por minha conta, dando cabeçadas. Não gosto desse hábito de apropriação do conhecimento. Informação é para ser disseminada, da forma que ressoe melhor em cada um. Eu abomino o hábito que alguns tem de induzir os outros em erro, justamente por estarem de posse de informação privilegiada.

  1. 29 de março de 2019 às 19:27
  2. 10 de setembro de 2017 às 22:25

Colabore para melhorar este texto

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: