Anúncios
Início > Eletrônica, Manutenção > TÉCNICA – Conserto em plásticos VI – Recuperação de aba móvel

TÉCNICA – Conserto em plásticos VI – Recuperação de aba móvel

10 de janeiro de 2013

Figura 1 – Encaixe quebrado da aba de um computador Itautec Pentium 4.

Figura 1 – Encaixe quebrado da aba de um computador Itautec Pentium 4.

Muitos equipamentos com gabinetes plásticos possuem abas, que escondem conectores e chaves e dão uma aparência mais esbelta ao produto. Estas abas são frequentes em televisores e computadores de mesa, por exemplo. Em nosso caso, tínhamos um desktop Itautec Pentium 4, que ocultava debaixo da aba as tomadas USB do painel frontal.

Esta aba, feita em ABS, sempre caía quando era aberta, o que era um incômodo para o cliente. Mas era necessária para impedir a entrada de pó. A parte quebrada tinha sido perdida e foi recriado o encaixe com fio rígido.

A técnica

Originalmente, o encaixe era parecido com um C, como mostra a figura 2.

Figura 2 - Segundo encaixe da aba, ainda intacto.

Figura 2 – Segundo encaixe da aba, ainda intacto.

Figura 3 – Furos para inserção do reforço de fio rígido.

Figura 3 – Furos para inserção do reforço de fio rígido.

Figura 4 – Fio rígido dobrado em U, pronto para ser inserido nos furos.

Figura 4 – Fio rígido dobrado em U, pronto para ser inserido nos furos.

Figura 5 – Inserção inicial vista de frente.

Figura 5 – Inserção inicial vista de frente.

Figura 6 – Inserção inicial de lado.

Figura 6 – Inserção inicial, vista de lado.

Figura 7 - Aquecimento do reforço metálico.

Figura 7 – Aquecimento do reforço metálico.

Para resolver a situação, foram feitos dois furos junto da parte quebrada (Figura 3), com bitola um pouco maior do que a do fio rígido utilizado como reforço. Os furos ficaram inclinados, para permitir uma inserção mais longa do reforço e evitar que aparecessem no outro lado da peça.

Daí, foi dobrado um pedaço de fio rígido em forma de U (figura 4). Este fio é de aço cobreado, aquele encontrado em instalações telefônicas externas, conforme já comentado em post anterior.

O reforço deve ser cortado num tamanho um pouco maior do que a profundidade dos furos, como visto nas figuras 5 e 6.

Após realizado este ajuste, ele foi mergulhado a quente até a altura correta (figura 7). O soldador utilizado é dedicado a estas tarefas e foi abordado no mesmo artigo anterior.

Figura 8 – Aparência final I.

Figura 8 – Aparência final I.

Figura 9 – Aparência final II.

Figura 9 – Aparência final II.

Figura 10 – Aparência final III.

Figura 10 – Aparência final III.

Após esfriar bem a peça, pode ser necessário modificar a inclinação do reforço, para fazer o encaixe comportar-se do mesmo modo que o original, permitindo com isso a inserção e retirada da aba sem problemas.

Além disso, pode ser interessante pingar um pouco de cola de cianoacrilato (Super Bonder ou Scotch Bond), para aumentar a resistência do reforço e preencher os espaços vazios dos furos. No meu caso, isto não foi necessário. Nas figuras 8, 9 e 10, pode-se ver como ficou a aparência final da peça.

Anúncios
Os comentários estão desativados.
%d blogueiros gostam disto: